Arquivo do mês: junho 2008

Cotidiano Cão

O bom e velho clichê futebolístico se encaixa bem: “Estava lá um corpo estendido no chão”. Na verdade, do corpo em si não se via nada. Estava coberto por uma lona plástica. Mas a cena era inequívoca, sobretudo pra quem já leu meia dúzia de livros policiais ou viu filmes do mesmo gênero: um esquina fechada por faixas amarelas, duas viaturas de polícia, alguns policiais militares esperando, um monte de curiosos na esquina oposta, e a lona no chão. Já sabíamos que um assassinato havia acontecido: uma amiga que estava na festa junina com a gente tinha avisado. Um cara saiu da festa, e foi assassinado numa esquina próxima.

Confesso que a cena, apesar de chocante, me chocou menos do que eu poderia imaginar. Existem cenas que vemos em filmes, mas que nunca que torcemos para nunca ver na vida real. Já vi um cara sendo atropelado na minha frente. Agora vi um corpo de um homem que acabava de ser assassinado. Será que morar em São Paulo deixa a gente tão blasé assim?

Obviamente, pairava a dúvida: o que tinha motivado o assassinato? Era reconfortante pensar que aquilo foi caso planejado. O cara seria algum mau-caráter devendo dinheiro para o tráfico, e foi acerto de contas. Mas conhecendo o cotidiano de São Paulo, e tendo em vista que estávamos saindo da festa junina de um dos clubes mais tradicionais da cidade, o Pinheiros, o mais provável era de que a causa fosse assalto. Talvez ele tivesse reagido, talvez não: a vida não vale muita coisa nos dias de hoje. Será que alguém presenciou isso? Provavelmente sim, tendo em vista que na esquina oposta tem um restaurante, que estava bem movimentado. Com certeza, a minha reação não seria tão blasé se eu presenciasse este tipo de cena.

Chegamos em casa. Na tevê, o Justus estava lançando um CD no Programa do Jô. Cada coisa….

Sacolas de compras

Há 20 anos atrás, na França, era comum as pessoas usarem carrinhos de pano para transportar  as compras. Era também bem comum o uso de sacos de papel pardo para este fim. Muitas vezes vemos isso em filmes americanos aliás. Hoje nós carregamos tudo em sacolinhas de plástico que consegue ser o pior dos mundos: frágil, vagabunda e ultra não biodegradável.

Em alguns países europeus, onde a consciência ambiental está num nível bem avançado, é normal lojas e supermercados cobrarem pelos saquinhos de plástico. Parece mesquinharia, mas é uma ótima forma de forçar um consumo mais racional. Vemos cada vez mais gente indo com a sua sacola de pano fazer compras.

Aqui no Brasil estamos chegando lá. No Carrefour aqui na Pamplona, começaram a vender umas sacolas para compras, a 3 reais. A qualidade do produto é questionável, mas o tamanho é ótimo para pequenas compras. Eu já comprei a minha.

SigaSeuTime na mídia

O pessoal do BrainCastTV faz um videocast sobre Twitter, e o SigaSeuTime foi citado como sendo uma das idéias mais inteligentes que eles viram até o momento…

Vale a pena conferir: http://enxame.tv/2008/06/20/braincast-tv-01-bloco-4/

E nem tudo é um mar de rosas

Escrevi aqui duas vezes sobre as maravilhas de se ir ao trabalho de ônibus. Sinto-me portanto na obrigação de relatar os contras. Hoje acordei com a intenção de ir à academia de manhã. As 8 estava no ponto (o ideal teria sido chegar as 7h30, mas belê). Às 8h20 eu desisti: todos os ônibus de interesse estavam absolutamente lotados, a ponto de ser impossível sequer pensar em entrar.

Aliás, é interessante notas como as linhas são desbalanceadas. Tanto a Itaim (106-A) quanto a Vl Olimipa (6104-10) estavam completamente lotadas. E outras linhas estavam vazias. Mostra uma certa falta de otimização dos recursos.

E o que eu fiz? voltei para casa, desisti do plano de academia matutina (irei a noite) e vim relatar este fato aos meus queridos leitores.

Rapidinhas sobre a Seleção

Viram o jogo do Brasil contra o Paraguais no domingo? Horrivel né? Eu dormi no final do primeiro tempo.

O Galvão passou boa parte do início do jogo dizendo que os paraguaios estavam muito arrogantes e confiantes, por terem declarado antes do jogo que cada time tinha 50% de chances de vencer. “Eles precisam respeitar mais o Brasil!”, dizia o locutor. Ora Galvão, respeito é algo que se ganha ao longo do tempo, mas que deve ser renovado no dia a dia. A história recente da Seleção (e em particular o jogo contra a Venezuela) mostram que este time ainda precisa lutar muito para poder meter medo incondicional nos adversários. E não vamos esquecer de que o Paraguai era líder antes do jogo, e o Brasil estava apenas em quarto. E continua sendo assim.

Aliás, o Galvão precisa parar com esse lance de dizer que uma pedalada do Robinho é o símbolo do futebol moleque, superior e artístico brasileiro, e que uma pedalada de qualquer outro jogador de qualquer outra seleção pra cima do Brasil é sinal de arrogância. Muito irritante isso.

O Dunga tem afirmado por aí que o Robinho é o símbolo de sua Seleção. O Robinho é um cara de talento, tem puxado a responsabilidade para si e com certeza foi um dos principais líderes na campanha vitoriosa da Copa América. Mas eu não gosto desse lance de estigmatizar um jogador como símbolo: cabe à História determinar isso. Romário é símbolo incontestável de 94, Ronaldo de 2002, Zidane da seleção francesa das últimas 3 copas. E sempre é bom lembrar que Dunga foi considerado por Lazaroni o símbolo da Seleção de 90. O fiasco daquele time fez com que “Era Dunga” fosse sinônimo de mediocridade por muito tempo, e isso só foi revertido em 94.

Casamento Civil

Casamento Civil, upload feito originalmente por Miguel Galves.

Futebol + Twitter

Faz um bom tempo que não escrevo neste blog. Ando preguiçoso. E ando bastante ocupado.

Na época da Bossa Nova, um cantinho e um violão eram as únicas coisas necessárias para se produzir boa música. Em tempos de Internet, um servidorzinho e um editor de texto são mais do que suficientes para se brincar bastante e criar uma enorme quantidade de projetos.

Eu ando numa fase bastante produtiva em termos de projetos pessoais. Além deste blog, sou editor e um dos autores de um blog de tecnologia (log4dev.com), desenvolvo um site empregos em TI e áreas correlatas (Job4Dev) e recentemente recebi um convite para participar de um projeto que não tem nada a ver com Tecnologia, mas que tem tudo a ver com Internet: SigaSeuTime.

Tudo começou com uma ligação de um amigo, da época do colégio. Marketeiro, e como eu interessado por web, ele pensou em algo bem interessante: unir o futebol ao novo fenômeno da internet, chamado Twitter. Twitter, pra quem não sabe, é um sistema de microblog, no qual pessoas podem enviar pequenas mensagens  chamadas de Status cujo objetivo é responder à uma simples pergunta: “O que você está fazendo agora?”. O grande barato do Twitter é que ele permite que estas informações sejam acessadas por vários canais: AIM, Jabber, GTalk, SMS (de graça), RSS…

E em relação ao SigaSeuTime, qual a idéia? Usar o twitter como centro de integração de notícias e jogos ao vivo do seu time. Cada time possui uma conta no Twitter (por exemplo: sigaCorinthians, ou sigaSaoPaulo), e os usuários followers destas contas irão receber diariamente notícias dos seus times, e em dias de jogo, irão receber em tempo real informações sobre gols, expulsões e resultados de jogos.

As primeiras reações foram bastante positivas: em poucas semanas no ar, o sistema tem mais de 800 followers espalhados pelos quase 30 times de futebol do Brasil. Mostra que a união de duas paixões brasileiras tem tudo pra dar certo. E em breve teremos times e campeonatos europeus ao vivo. As idéias estão fervilhando. E o projeto também. Pena que o dia só tem 24 horas!